Importação de vinho no Brasil: mercado e principais países

Tempo de Leitura: 3 minutos

A importação de vinho no Brasil é um sucesso, conquistando um público fiel que não para de crescer e que continua aprendendo a apreciar essa saborosa bebida.

Um fato interessante é que se observou no ano de 2022, quando houve uma queda na importação na ordem de 2% se comparado ao ano anterior, no entanto, ocorreu também um acréscimo de 25% no consumo dos vinhos reconhecidos como de nível médio e premium.

De acordo com uma reportagem realizada pela CBN, essa situação se deve a apostas que os importadores fizeram na aquisição de vinhos baratos, quando acabaram acumulando grandes estoques.

Os números mostram que o mercado brasileiro está mais seletivo, portanto, voltado a busca pela qualidade dos vinhos oferecidos, especialmente quando se trata de produtos trazidos do exterior.

Neste post, abordaremos a importação de vinho no Brasil, seu mercado e de onde vem os produtos que fazem maior sucesso junto ao consumidor brasileiro. Continue lendo e saiba mais detalhes a esse respeito!

Como é o mercado para importação de vinhos no Brasil?

A importação de vinho no Brasil vai muito bem, onde se percebe que muitas pessoas adotaram essa bebida como a preferida no seu dia a dia.

Segundo uma pesquisa da Wine Intelligence, o consumo do vinho dobrou entre 2010 e 2020, alcançando uma penetração entre a população adulta brasileira de 36%, índice parecido com o do mercado norte-americano.

De acordo com os estudos, isso se deu especialmente em função da pandemia, quando muitas pessoas passaram a consumir essa bebida em suas casas, desfrutando de novas experiências e aprendendo a admirar o sabor e o prazer que um bom vinho proporciona.

Essa atitude colaborou para que a importação de vinho fosse também incrementada, quando muitos empreendedores perceberam uma ótima oportunidade de negócios e passaram a trazer novas marcas e sabores de países que possuem tradição no cultivo das uvas e produção dessa bebida.

Quais são os principais fornecedores de vinhos para o Brasil?

No ano de 2022, a importação de vinho no Brasil alcançou a cifra de 425 milhões de dólares, onde os principais fornecedores foram os seguintes países:

Além desses países, muitos vinhos são trazidos do Uruguai, Itália, França, Espanha, Geórgia, Alemanha, Estados Unidos, África do Sul e outros locais que possuem tradição na produção dessa bebida.

O objetivo é oferecer as mais variadas opções para o consumidor brasileiro, abrindo espaço para muitos sabores e atendendo as exigências de quem passa a conhecer e valorizar esse novo hábito de consumo.

Como funciona o processo de importação de vinho?

A importação de vinho é perfeitamente possível e viável, no entanto, é preciso atenção para as exigências legais.

Tudo se inicia através do registro no Radar, possibilitando o acesso ao Portal Único do Comércio Exterior (Siscomex).

Na sequência, é indispensável o registro junto ao Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), por tratar-se de produtos voltados ao consumo humano.

Os fornecedores dos vinhos também deverão atender a detalhes que envolvem a legislação brasileira, portanto, será necessário que o importador exija:

  • rótulos de acordo com as exigências legais brasileira,
  • certificado de origem,
  • certificado de análise.

A partir daí, é preciso atender a documentação exigida para cada operação, observando os impostos que estão envolvidos nos processos.

Os cuidados logísticos precisam ser priorizados, considerando os valores dos fretes internacionais e buscando as melhores opções de transporte.

Para escolher o transporte ideal, é necessário considerar dois fatores: o controle de temperatura e a existência do seguro de cargas.

O vinho é uma bebida muito sensível a oscilações bruscas de temperatura. Casos externos podem prejudicar as suas características, impossibilitando o consumo.

Existem, basicamente, dois meios que podem ajudar a prevenir essas oscilações durante a viagem do navio, que passa por vários países e consequentemente vários climas:

  • Manta térmica: material que pode ser aplicado no container (embarques FCL) ou pallet (embarques LCL). Ele é adquirido de forma avulsa no mercado e facilmente instalado.
  • Contêiner reefeer: mantém a carga refrigerada durante todo o percurso.

Em relação ao seguro de carga, o vinho é uma mercadoria altamente visada para roubos e, por ser vidro, bastante suscetível a avaria durante seu manuseio. Ter cobertura completa, então, é essencial ao se trabalhar com o transporte dessa bebida.

Por fim, existem as movimentações alfandegárias, onde em muitos casos a importação deverá ser encaminhada a um terminal autorizado da Receita Federal para sofrer o processo de avaliação e fiscalização.

Todo esse conjunto de ações é facilitado quando se pode contar com uma empresa especializada na importação de vinho.

Esse é o caso da RENTALOG, uma empresa que desde 2012 oferece seus serviços a clientes distribuídos por todo o Brasil, viabilizando as operações que envolvem o comércio exterior e garantindo qualidade, agilidade e assertividade em todos os processos.

Contamos com serviço de seguro oferecido porta a porta. Consulte-nos e entenda como trazer mais tranquilidade para o transporte dessa bebida.

Para saber mais a esse respeito, acesse nosso site, conheça detalhes a respeito e a estrutura que disponibilizamos ao seu empreendimento!

Fontes:
https://www.gov.br/siscomex/pt-br
https://www.gov.br/agricultura/pt-br

Posts Recentes

Outras Postagens

Pular para o conteúdo