[gtranslate]

PRECISANDO IMPORTAR PNEUS? CONHEÇA OS PRINCIPAIS ASPECTOS DESSA OPERAÇÃO

Tempo de Leitura: 2 minutos

A frota de veículos no Brasil não para de crescer e com ela, a demanda por peças de manutenção.

Segundo a Fenabrave, foram emplacados 1.557.957 automóveis e 416.474 comerciais leves em 2021, dando um total de 1.974.431 unidades. Isso indica um crescimento de 1,21% quando comparado com o total de 2020. Se analisarmos o desgaste natural de pneus, o consumo é um grande mercado a ser explorado por multinacionais e importadores.

Você sabia que a importação de pneus é majoritariamente oriunda da China?

O país é conhecido pela produção de escala e melhoria contínua de qualidade. Ao decidir importar da China, o selo do Inmetro é fator decisivo e o processo segue um ritmo processual padrão: a certificação é feita desde o produto até a fábrica que estão atentas aos detalhes e exigências internacionais. A dica é buscar sempre por empresas que já possuem certificações internacionais de maior referência como CE (Certificação Europeia) ou DOT (Departament of Transportation – Estados Unidos).  Importante requisitar uma cessão de certificação do Inmetro. A cessão é por lote e somente para os produtos já homologados.

O Brasil adota a regra Antidumping (é a prática de exportar um produto a preço inferior ao praticado no mercado interno do país exportador, com o objetivo de conquistar mercados ou dar vazão a excessos de produção). De fato, o Brasil não conseguiu acompanhar o grande crescimento produtivo internacional, principalmente o asiático. Algumas dessas fábricas produzem em escala superior ao consumo dos estados brasileiros, conseguindo comprar matéria prima por um valor de venda extremamente mais competitivo do que o nacional.

Em janeiro de 2021, a Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, zerou o Imposto de Importação de pneus para veículos de carga. Em reunião do Comitê Executivo de Gestão (Gecex) – núcleo colegiado da Camex – foi aprovada a alteração da alíquota com o objetivo de contribuir para a redução dos custos operacionais do transporte rodoviário de cargas no Brasil.

A medida atende a uma solicitação do Ministério da Infraestrutura, tendo em vista a participação do Transportador Rodoviário de Cargas (TRC) na matriz de transportes do país e as dificuldades do setor decorrentes da restrição econômica ocasionada pela Covid 19.

A alteração abrange itens classificados no código 4011.20.90 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) – Pneumáticos novos, de borracha, dos tipos utilizados em caminhões que, em 2020, registraram importações no valor de US$ 141,8 milhões, com mais de 1,28 milhão de unidades, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia.

O Gecex levou em consideração informações recebidas das empresas do setor indicando que a demanda adicional à oferta, o aumento dos preços das commodities no mercado internacional e a variação cambial no país têm pressionado fortemente os preços dos pneus no mercado nacional.

A importação de pneus requer muita atenção e experiência, por isso consulte empresas especialistas no processo, como a Rentalog. Fale sem compromisso com um de nossos especialistas.

Cotação – Rentalog Global Logistics

Fontes: https://autopapo.uol.com.br/noticia/carros-mais-vendidos-2021/

https://www.gov.br/pt-br/noticias/financas-impostos-e-gestao-publica/2021/01/governo-zera-imposto-de-importacao-de-pneus-para-transporte-de-cargas

Posts Recentes

Outras Postagens